Estado denuncia protocolo com José Berardo

Saber | Cultura
©Tiago Petinga/Lusa
  • Data

    27.05.22

O Estado denunciou o protocolo, com efeitos a 1 de janeiro de 2023, assinado com o colecionador de arte José Berardo, que se renovaria automaticamente no final deste ano, anunciou o Ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, numa conferência de imprensa, realizada ontem, ao final do dia no CCB, em Lisboa. 

Foi com este protocolo, assinado em 2006, que viria a ser criada a Fundação de Arte Moderna e Contemporânea – Coleção Berardo, com a participação do colecionador, do Estado, através do Ministério da Cultura, e da Fundação Centro Cultural de Belém, com a missão de criar o Museu Berardo para exibir um acervo inicial de 862 obras da coleção de arte moderna e contemporânea de José Berardo.

Pedro Adão e Silva disse que a Fundação de Arte Moderna e Arte Contemporânea – Coleção Berardo será extinta e será iniciado o processo para "a criação de um museu de arte contemporânea que potencie várias coleções", no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

O Ministro sublinhou que a prioridade é "garantir a fruição de uma coleção notável", para o que "asseguramos a integridade da coleção e o seu funcionamento", segurança, conservação e seguro.

Leia, aqui, a notícia, na íntegra.

Fonte: Portugal.gov.pt

Veja Também