Dossier técnico do futuro Arquivo Nacional do Som entregue pela Estrutura de Missão

Saber | Arquivo
  • Data

    17.01.22

O Ministério da Cultura recebeu o dossier técnico que irá sustentar as opções relativas à criação do futuro Arquivo Nacional do Som.

Criada em 2019 por Resolução de Conselho de Ministros, a estrutura de missão do Arquivo Nacional do Som ficou encarregue de, entre outras obrigações, elaborar de um dossier que reunisse a informação técnica no sentido de dotar o país de uma estrutura arquivística, de âmbito nacional, que garantisse a salvaguarda e disponibilização do património documental sonoro.

Ao longo dos últimos três anos, a equipa procedeu a um extenso levantamento (mais de 3.500 entidades foram contactadas) para conhecer em detalhe a dimensão, as características e as condições em que se encontra esta importante domínio do património documental, cultural e científico. Com base nessa informação, e em articulação com as normas, recomendações e as boas práticas internacionais, estamos hoje habilitados a criar e instalar definitivamente o Arquivo.

Para a Ministra da Cultura, Graça Fonseca, “o património sonoro, mesmo aquele que está guardado nas várias instituições de memória, tem estado votado à invisibilidade e ao silêncio. Não está disponível para consulta, e as entidades não dispõem de tecnologia para reproduzir os suportes. A criação do ANS resolve esta necessidade concreta de podermos procurar, aceder, e ouvir este importante domínio patrimonial. Como iríamos explicar às gerações futuras que havíamos perdido a memória sonora do nosso país e que tínhamos um século XX silencioso?”

“O património documental sonoro tem sido motivo de um debate longo que dura há quase 85 anos. Ações pouco sistemáticas e inconclusivas levaram a uma situação verdadeiramente alarmante. Globalmente, está unanimemente determinado que dentro de 10 anos será difícil conseguir ler grande parte dos documentos sonoros, sobretudo aqueles que estão em suportes magnéticos. Em boa hora o Estado decidiu actuar e, de forma determinada, resolver este impasse”, destaca Pedro Félix, coordenador da Equipa Instaladora do Arquivo Nacional de Som.

O levantamento permitiu identificar mais de 500.000 suportes de som, dos quais 170.000 necessitam de urgente intervenção. Esses documentos vão desde som musical a transmissões radiofónicas, de entrevistas a sons da natureza, de audiolivros a peças de teatro radiofónico. Os documentos identificados datam do final do século XIX à atualidade e encontram-se em suportes tão distintos como cilindros de cera e fio de arame até à cassete e aos ficheiros áudio, passando por bobinas de fita magnética e discos de todas as tipologias.

À semelhança do Museu Nacional da Música, o Arquivo Nacional do Som será instalado em Mafra, ainda que acesso aos documentos venha a ser descentralizado e polinucleado, garantindo não só a segurança e a legalidade da disponibilização dos conteúdos, mas de modo a providenciar igual condição de acesso à informação, independentemente do local em que o utilizador final se encontre.

No contexto do PRR foi aprovado uma linha específica de financiamento para aquisição de equipamento fundamental para o Arquivo Nacional do Som, no valor de 2 milhões de euros.

Fonte: Gabinete Ministra da Cultura

Veja Também