Fundação Gulbenkian reforça Coleção do CAM

Saber | Artes
© Foto: Bruno Lopes
  • Data

    21.12.21

A Fundação Gulbenkian dando continuidade à sua estratégia anual de aquisição de obras de arte para a coleção do Centro de Arte Moderna, adquiriu obras de artistas consagrados como António Costa Pinheiro e Jorge Pinheiro, obras de artistas pouco representados na coleção e cujo núcleo foi agora reforçado, como Augusto Alves da Silva, Fernanda Fragateiro e Jorge Queiroz, e também obras de jovens artistas como Jaime Welsh e Fernão Cruz.

Um dos critérios da estratégia de aquisições prende-se com a relevância das obras e dos artistas e também os pontos de encontro com a coleção, sendo que outro dos critérios consistiu na aposta em obras que marcaram presença em exposições na Fundação Calouste Gulbenkian.

Atualmente, a Coleção do CAM reúne cerca de 11.800 obras de arte moderna e contemporânea, com enfoque na arte portuguesa, mas também ao nível da arte internacional.

As aquisições anuais, que nos últimos anos tem rondado os 500 mil euros, são realizadas com o propósito de enriquecer a Coleção, reforçar a sua importância e relevância e promover novas leituras e perspetivas do acervo.

Fonte: Gulbenkian

Veja Também