Intervenção da Ministra da Cultura na Comissão de Cultura e Comunicação da Assembleia da República

Saber | Cultura
  • Data

    02.02.21

INTERVENÇÃO DA MINISTRA DA CULTURA NA COMISSÃO DE CULTURA E COMUNICAÇÃO DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA - 2 FEVEREIRO 2021

"Hoje, permitam-me que comece por vos falar daqueles que nos inspiram e dos sonhos que trazem consigo. O que acontece ao sonho quando quem o sonha morre? Esta pergunta, que a tantos de nós nos inquieta, colocava-a também Bruno Navarro – historiador, professor, investigador e presidente do conselho diretivo da Fundação Côa Parque, que faleceu precocemente neste fim-de-semana aos 44 anos.

O seu mandato, que em boa hora teve início em 2017, constituirá para sempre um marco na história da instituição que dirigia. A Fundação Côa Parque e o Parque Arqueológico do Vale do Côa, lugares centrais da cultura portuguesa, são, hoje, espelho e legado de um historiador e dirigente público que dedicou a sua vida ao conhecimento, ao exercício nunca fútil da memória e à defesa do património cultural nacional. A sua morte precoce choca-nos, mas o seu trabalho e a paixão com que o exercia lançam uma forte luz sobre os caminhos a seguir. É este o profundo reconhecimento que a cultura portuguesa lhe deve e que eu, enquanto Ministra da Cultura, faço questão de o expressar neste lugar, sabendo que o sonho que foi de Bruno Navarro, bem como de outras e de outros, exige ser continuado.

Os caminhos que trilhamos são árduos e evocam toda a nossa coragem. Em Portugal, uma vez mais, a cultura encerrou as suas portas. Artistas, autores, criadores, técnicos e profissionais desta área necessitam, mais do que nunca, do apoio do Estado. O Governo irá cumprir, como fez no passado recente, com as suas responsabilidades. Este é o tempo de agir – agir pela recuperação e resiliência do setor da cultura, um dos mais afetados pela crise pandémica.

Desde 1 de janeiro, e pela quarta vez, Portugal assume a Presidência do Conselho da União Europeia. Trata-se de um momento particularmente complexo, marcado por uma crise de saúde pública com fortes impactos sociais e económicos. Tal como tive oportunidade de apresentar aos deputados no Parlamento Europeu, não quero deixar de, hoje, perante os deputados do Parlamento Português, apresentar as prioridades políticas da Presidência Portuguesa".

Leia a intervenção da Ministra da Cultura na íntegra aqui.

 

Veja Também