Penacova

Igreja e Mosteiro de Lorvão

Monumentos | Património
© Turismo de Portugal

Envolta em diversas lendas, a fundação do Mosteiro de Lorvão tem vindo a ser recuada até ao século VI, época em que, pela primeira vez, foi identificada a paróquia suevo-visigótica de "Lurbane". Muito embora subsista uma pedra de mármore com ornato visigótico (mas há também vestígios arqueológicos de uma villa romana), é mais correcto, na perspectiva historiográfica actual, considerar a sua fundação na sequência da primeira reconquista de Coimbra (878), data a partir da qual surgem as primeiras referências documentais conhecidas. 

Depois de uma fase inicial na posse dos monges eremitas de Santo Agostinho (dos quais se encontraram esqueletos) ou sem regra fixa, o mosteiro adoptou, em meados do século XI, a Regra Beneditina, que se manteve até 1200, quando passou para a Ordem de Cister. Nesta data, não apenas se adoptou a nova reforma cisterciense, como o mosteiro passou a ser feminino, tendo por invocação Santa Maria. Deve-se esta profunda mudança, que implicou, naturalmente, adaptações nos espaços, a D. Teresa, filha do rei D. Sancho I, que aqui viveu até à data da sua morte, em 1250, encontrando-se sepultada na igreja juntamente com sua irmã, D. Sancha (urnas executadas pelo ourives portuense Manuel Carneiro da Silva, em 1714).

A actualização do mosteiro teve início nos últimos anos do século XVI, incidindo, em primeiro lugar, no claustro, numa linguagem renascentista, onde se incluem várias capelas e a que se acrescentou, em 1677, as varandas, já de pendor mais próximo do barroco. A portaria data de 1630, integrada no novo edifício, iniciado na década de 1620. Foi, no entanto, o ciclo barroco que mais marcou o mosteiro, intimamente relacionado com o culto oficializado às Santas Rainhas, cujo processo terminou em 1724. A igreja foi reconstruída e o seu traçado denota toda uma influência de Mafra, "mas numa versão requintada e esbelta em que o autor se movimenta com á-vontade, dominando com segurança as proporções e a gramática decorativa do classicismo, dando emotividade aos entablamentos".

Fonte: DGPC

Penacova

Ver direções

Como chegar

R. Evaristo Lopes Guimarães,

3360-106 Lorvão

Horário

Inverno: 09H30 - 13H00 | 14H00 - 17H30

Verão: 09H00 - 13H00 | 14H00 - 18H00

Encerra: 1 de janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de maio, 25 de dezembro

Preço

3€

Contacto

Telefone: 239 095 732

Email: mosteirodelorvao@cm-penacova.pt 

Veja Também