Coleção de obras de arte do Estado

Saber | Cultura
©Pixabay
  • Data

    04.07.19

A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, determinou que até ao final deste ano fique concluída a conferência e revisão do inventário da Coleção de obras de arte do Estado.

No Despacho, assinado pela Ministra e remetido à Direção Geral do Património Cultural (DGPC), constam ainda a apresentação de uma proposta de programação e curadoria da coleção do Estado, em articulação com a Comissão de Aquisição de Arte Contemporânea, que garanta a sua fruição em todo o país e a apresentação de uma estratégia de marca para a coleção.

No documento fica ainda estabelecido que a DGPC deve efetuar uma avaliação dos protocolos existentes, assim como elaborar uma proposta de atualização dos mesmos. Tal permitirá, nomeadamente, incluir novas obrigações relativas à implementação dos protocolos, bem como preparar as decisões relativas a renovações e vigência dos mesmos.

À DGPC competirá ainda apresentar uma estratégia plurianual para a exibição das obras de arte que integram esta Coleção, incluindo uma proposta de programação para o biénio de 2020/2021 e a escolha de um responsável pela programação e curadoria da Coleção, em articulação com o trabalho desenvolvido pela Comissão de Aquisição de Arte Contemporânea.

O mesmo Despacho prevê a apresentação de uma solução tecnológica para a inventariação e gestão da Coleção de obras de arte do Estado, com a criação de uma estratégia de marca para a Coleção, bem como uma nova designação e logótipo.

O Ministério da Cultura considera que é fundamental garantir uma gestão eficiente desta Coleção, do seu depósito e da sua respetiva documentação. Tal permitirá assegurar a sua adequada conservação e investigação, consolidar o acervo de arte contemporânea do Estado e implementar uma estratégia clara para a sua divulgação e fruição em todo o território nacional.

Fonte: Ministério da Cultura

Veja Também