Projeto São Carlos nas Escolas envolveu mais de 100 alunos

Saber | Cultura
  • Data

    20.06.18

O projeto Residências Artísticas – São Carlos nas Escolas envolveu este ano mais de 100 alunos do 1º ciclo do ensino básico que, entre janeiro e maio, trabalharam com músicos profissionais da Orquestra Sinfónica Portuguesa, do corpo artístico do Teatro Nacional de São Carlos.

Durante uma semana intensiva, tiveram a oportunidade de experienciar um processo de construção artística nas áreas de percussão, sopros, cordas e voz.

Hoje, 20 de Junho, no palco do Teatro Camões, alunos, professores, diretores e autarquias partilharam a sua experiência, que envolveu toda a comunidade.

Miguel Honrado, Secretário de Estado da Cultura, marcou presença no encontro e afirmou que “o contacto, desde cedo, com a arte é um passo fundamental na construção de uma sociedade mais criativa, cooperante, inclusiva”. Miguel Honrado defendeu que “mais escolas e mais crianças devem ter a oportunidade de ter a cultura imersa na sala de aula e participar nas Residências Artísticas”. “O nosso objetivo é envolver todos os ciclos de ensino e apoiar o desenvolvimento de competências e sensibilidades para a arte numa escala nacional.

Para que o projeto possa ter o impacto que merece, precisamos que outros organismos e protagonistas do panorama cultural se juntem a este desafio de integrar a arte e a cultura na educação”, sublinhou.

Destinado a crianças do primeiro ciclo do ensino básico, o programa Residências Artísticas – São Carlos nas Escolas é uma iniciativa dos ministérios da Cultura e da Educação, dinamizada pela Direção-Geral da Educação e o OPART – Organismo de Produção Artística. Tem como grande objetivo desenvolver um plano de intervenção que integre as diferentes formas de arte em contexto escolar, aproximando as crianças da cultura e proporcionando-lhes uma experiência artística e educativa singular.

Em 2018 participaram nesta iniciativa os Agrupamentos Escolares (AE) - AE Padre João Coelho Cabanita (Loulé); AE Vasco da Gama (Sines); AE Vale D’Este, Viatodos (Barcelos); AE Freixo de Espada à Cinta e AE Infante D. Henrique (Viseu). O projeto piloto realizou-se em 2017 no Agrupamento de Escola de Caxinas (Vila do Conde).

Veja Também