Dia Mundial da Língua Portuguesa - Ministério da Cultura

Saber | Cultura
  • Data

    05.05.20

Assinala-se hoje, pela primeira vez, o Dia Mundial da Língua Portuguesa e da Cultura CPLP, e como forma de o festejar, o Ministério da Cultura, através dos seus organismos, apresenta um conjunto de diversas iniciativas pensadas e criadas especificamente para esta efeméride.

Refira-se, desde logo, o projeto “Nossa Língua - Nosso Chão”, da Direção Regional do Alentejo que, em parceria com a Chão Nosso, CRL e a Andante Associação Artística, e em colaboração com rádios locais e bibliotecas municipais do Alentejo, se propõe assinalar em todo o Alentejo esta conquista tão relevante para a nossa língua, o nosso chão, que tantas pontes culturais criou e cria na aproximação entre os Homens em todo o mundo através da sua cultura. Este projeto visa apoiar os esforços de valorização da nossa língua junto de diversos públicos, unindo os cerca de 260 milhões que falam a língua portuguesa em quatro continentes, o que lhe confere a dimensão mundial que hoje se celebra. O projeto divulga através das rádios, e para todos os públicos, textos de escritores de língua portuguesa - Almada Negreiros, António Torrado, Fialho de Almeida, Florbela Espanca, João Pedro Mésseder, Joaquim Figueira Mestre, Lídia Jorge, Manuel da Fonseca, Mia Couto, Rita Taborda Duarte, Sylvia Orthof, Vítor Encarnação, Virgínia Dias - que serão emitidos ao longo de todo o dia, no Alentejo.

A Língua Portuguesa festeja-se também pelo Teatro Nacional São Carlos (TNSC), com Camões, em dois momentos: num primeiro momento, a história de Pedro e Inês, o acontecimento que em toda a nossa existência como país mais material forneceu ao mundo da música. Recordaremos como Camões a exprimiu no Canto III d’Os Lusíadas. Num segundo, um soneto, também de Camões, escolhido por Eugénio de Andrade na sua Antologia Pessoal da Poesia Portuguesa. O primeiro verso desse soneto - “O céu, a terra, o vento sossegado… " - resume um pouco o que é Portugal. Uma homenagem, numa casa de música, não poderia ser senão polifónica!

A estas celebrações, junta-se ainda a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), em particular, a iniciativa preparada pelo Arquivo Distrital de Bragança, que oferece uma exposição virtual chamada “Ritmos e Sonoridades da Língua Portuguesa”, promovendo a língua portuguesa a partir do espólio documental dos registos paroquiais, bibliografia, provérbios, adivinhas, poemas, canções, orações, e objetos artesanais alusivos à cultura dos povos transmontanos, bem como a Biblioteca Nacional (BNP) que disponibiliza o site temático “Fontes Linguísticas do Português”, com acesso ao conteúdo integral das obras, desde o séc. XVI ao princípio do séc. XX, sobre gramática, ortografia, manuais e métodos de ensino da língua, dicionários, e obras de reflexão linguística do português.

Finalmente, uma última nota para o Cinema que se faz representar nesta homenagem à língua portuguesa, tanto pelo Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA), como pela Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, levando a casa propostas de filmes pertencentes a diversas coleções de arquivos fílmicos de todo o mundo e reforçando o anunciando-se o “Crianças Primeiro”, uma iniciativa do Festival Cinanima, que reúne 21 curtas-metragens de animação, e procurando estimular a literacia.

Veja Também