Lisboa | De 24.01.23 a 11.04.23

É-se surrealista porque se é surrealista!

Exposições | Arquivos

Mário Cesariny de Vasconcelos (1923- 2006), poeta e pintor, encontra no movimento surrealista o espaço de liberdade criativa, sem imposições estéticas ou morais, adequado à sua personalidade inquieta, polémica e contestatária.

Os arquivos guardam memórias. Alguma da memória deste percurso de vida é apresentada nesta mostra documental e bibliográfica com que o Arquivo Nacional da Torre do Tombo se associa à comemoração do centenário de nascimento de Mário Cesariny .

Mostram-se documentos da Polícia de Informação e Defesa do Estado (PIDE); do Tribunal Plenário de Lisboa; do Secretariado Nacional de Informação (SNI); da Secretaria de Estado da Cultura.

Presente também a obra do autor, Antologia Poética, a sua tradução de Iluminações – Uma cerveja no inferno, de Rimbaud, e Verso de autografia : Miguel Gonçalves Mendes conversa com Mário Cesariny.

Fonte: ANTT

Ver direções

Veja Também