Lisboa | De 04.01.23 a 31.01.23

CICLO: JEAN-LUC GODARD

Sessão de Cinema | Cinema

Uma revista francesa (Les Inrockuptibles) não teve pruridos: no seu número seguinte à morte de Jean-Luc Godard, sucedida em setembro passado, a manchete dizia, simplesmente, “Dieu est mort”, “Deus morreu”. Que importa o exagero, se o exagero é só uma forma de fazer justiça à importância, das pessoas ou das coisas. E Godard foi, de facto, a pessoa mais importante, o autor das coisas mais importantes, de todo o cinema da segunda metade do século XX em diante.

A homenagem que lhe prestamos porá isso em evidência, julgamos, ao trazer exemplos de todas as fases da obra do autor, desde os alvores da nouvelle vague ao filme – quase – derradeiro que foi LE LIVRE D’IMAGE. É um passeio por alguns recantos menos visitados do legado de Godard, um vislumbre da riqueza inesgotável desse legado, que ficará connosco – para sempre.

Fonte: Cinemateca Portuguesa

Ver direções

Veja Também