Porto | De 30.03.22 a 10.04.22

A Estética da Resistência

Teatro | Teatro

O escritor e dramaturgo Peter Weiss assinou uma das obras seminais da literatura alemã, A Estética da Resistência (1975-81), romance icónico para as esquerdas europeias. É dele que Rui Pina Coelho parte livremente para construir o texto da peça homónima que o Teatro Experimental do Porto propõe e Gonçalo Amorim encena. Weiss acompanha o percurso iniciático de três jovens operários comunistas alemães, de 1937 ao eclodir da Segunda Guerra Mundial, através dos seus encontros em museus e galerias de arte. As suas meditações sobre pintura, escultura e literatura são uma forma de dissidência do regime nazi e de busca de afinidades entre a resistência política e a arte. Tudo começa numa ausência: face ao friso de Pérgamo no museu em Berlim, notam a falta da figura do deus Héracles e imaginam um seu substituto humano, arauto dos oprimidos e explorados, a quem Rui Pina Coelho dá voz: “Tenho-me habituado a pensar que a criação artística sem verdade não tem muita razão de ser.” O espetáculo lança no presente essa procura de sentido, erguendo uma litania sobre arte e política, verdade e camaradagem.

Fonte: TNSJ

Ver direções

Veja Também